Para estimular a população a doar livros que estão sem uso ou já foram lidos, transformamos a estante em prisão: um lugar onde os escritores permanecem prisioneiros e esquecidos, aguardando o dia em que serão libertados.